Gerador de conteúdo de IA

O Google penaliza o conteúdo gerado por IA?

As ferramentas de inteligência artificial (IA), como o ChatGPT, revolucionaram a criação de conteúdo, facilitando a criação de conteúdo em escala. No entanto, as ferramentas de geração de conteúdo de IA não estão isentas de falhas, incluindo a abertura do usuário a um risco maior de conteúdo com erros factuais e sem o toque humano. Outro risco é se o conteúdo gerado por IA será penalizado pelo Google e as possíveis implicações que isso pode ter sobre a autoridade de domínio de um site, incluindo sua capacidade de classificação para palavras-chave alvo nas páginas de resultados dos mecanismos de pesquisa.

Além disso, no mundo do marketing de conteúdo de luxo, em que um público altamente refinado espera um nível de qualidade que supera o das marcas do mercado de massa, o conteúdo gerado por IA pode, com muita frequência, ficar aquém do esperado, gerando frases que muitas vezes parecem robóticas e não acrescentam nada de novo ao diálogo existente.

Então, as marcas de luxo devem usar conteúdo gerado por IA e, se o fizerem, sua presença digital corre o risco de ser penalizada pelo Google? Os especialistas em SEO e conteúdo de luxo da Relevance exploram o conteúdo gerado por IA em mais detalhes.

O que é conteúdo gerado por IA?

IA é a capacidade de uma máquina de realizar e executar funções que normalmente são associadas à inteligência humana. Um exemplo disso seria a tecnologia de IA por trás dos chatbots de atendimento ao cliente que aparecem nos sites. A inteligência artificial também assumiu o controle da tecnologia de conversão de voz em texto e tem sido crucial para pessoas com deficiência visual, enquanto assistentes de voz como Siri e Alexa são exemplos comuns de IA de conversação usados em residências em todo o mundo.

ChatGPT

O ChatGPT é um exemplo de ferramenta de IA generativa. Chat GPT significa "Chat Generative Pre-trained Transformer". A versão gratuita atual do ChatGPT é baseada no GPT-3.5 LLM (Large Language Model), com uma versão paga, o ChatGPT-4, lançada no início de 2023, que é mais sofisticada que o GPT-3.5 e mais capaz de reconhecer sutilezas no texto e gerar imagens. Tanto o ChatGPT 3.5 quanto o 4 têm a capacidade de gerar grandes quantidades de cópias em questão de segundos a partir de entradas simples e têm o potencial de mudar o cenário atual do trabalho, da escola e da casa como o conhecemos.

O ChatGPT se tornou a ferramenta favorita de muitos profissionais de marketing digital porque pode economizar tempo e melhorar os resultados da campanha quando usado corretamente. O conteúdo escrito gerado por IA é incomparável em termos de velocidade e, em um setor em que blogs, artigos e peças de liderança de pensamento precisam ser escritos com frequência, o conteúdo de IA pode reduzir o tempo e o esforço.

Quais são os benefícios do conteúdo gerado por IA?

As ferramentas de IA generativa, como o ChatGPT, não só podem produzir texto com base nas entradas do usuário, mas também podem melhorar o vocabulário existente e refinar os estilos de escrita. O uso de uma IA generativa pode ajudar a superar o bloqueio do escritor, desenvolver ideias de título e conteúdo e ajudar os escritores a expressar seus pontos de vista, mesmo além das barreiras linguísticas.

O Google penaliza o conteúdo escrito por IA?

A OpenAI lançou uma demonstração inicial do ChatGPT em novembro de 2022 e, em cinco dias, o chatbot de IA tinha mais de um milhão de usuários. Com sua capacidade de escrever e-mails, códigos e artigos, além de gerar ideias de conteúdo, traduzir idiomas e automatizar respostas a algumas consultas comuns de atendimento ao cliente, o ChatGPT está sendo usado atualmente em vários setores, mas será que ele é bom para os mecanismos de pesquisa?

O advogado de pesquisa do Google, John Mueller, afirma que "o uso da automação, incluindo a IA, para gerar conteúdo com o objetivo principal de manipular a classificação nos resultados de pesquisa é uma violação de nossas políticas de spam [do Google]". Dito isso, é importante reconhecer que nem todo uso de automação, incluindo a geração de IA, é spam. A automação tem sido usada há muito tempo para gerar conteúdo útil, como resultados esportivos, previsões do tempo e transcrições."

Danny Sullivan, do Google, também reiterou que o Google não tem problemas com a IA, desde que o conteúdo seja útil e escrito para as pessoas.

No entanto, uma melhoria na experiência do usuário é um resultado positivo, mesmo que seja por meio do uso de IA. Miranda Miller, editora-gerente sênior do Search Engine Journal, levanta um ponto válido ao questionar que seria estranho o Google proibir o uso de IA por webmasters e criadores de conteúdo com o objetivo de melhorar a experiência do usuário, quando o próprio Google a utiliza com tanta frequência. Pode-se até argumentar que os profissionais de marketing precisam otimizar sites para IA para realmente aproveitar os benefícios potenciais que ele pode proporcionar.

Desde o início, o Google sempre recompensou o conteúdo de qualidade e as informações originais de valor, como pesquisas e relatórios detalhados. De acordo com o mecanismo de busca, as informações que são relevantes para o leitor terão um bom desempenho nos resultados da pesquisa.

Portanto, as informações precisam ser originais, ricas em conteúdo e relevantes para o público, além de demonstrar qualidades E-E-A-T (experiência, especialização, autoridade e confiabilidade). O Google usa o EEAT para verificar se seus sistemas de classificação de pesquisa estão fornecendo informações úteis e relevantes aos usuários finais.

Se você depender apenas de ferramentas geradoras de conteúdo de IA, há uma grande chance de não demonstrar o E-E-A-T; o segredo é usar ferramentas como o ChatGPT para aprimorar o resultado do seu conteúdo.

A IA substituirá o conteúdo escrito por humanos?

A inteligência artificial traz muitos benefícios, como a capacidade de se "conectar" com chatbots baseados em IA 24 horas por dia, 7 dias por semana, sistemas de IA que gerenciam tarefas repetitivas e monótonas e assistentes de voz como Siri e Alexa, que facilitaram a vida de muitas pessoas.

A capacidade de gerar novas ideias, títulos e artigos de blog e realizar pesquisas de palavras-chave são apenas alguns dos motivos pelos quais os profissionais de marketing de conteúdo foram parte dos primeiros setores a começar a usar a IA para a criação de conteúdo em seu trabalho diário. Além disso, a capacidade de usar a IA para coletar e analisar dados em minutos acelerou o processo de pesquisa.

No entanto, não podemos depender exclusivamente da IA para obter conteúdo. Ela precisa ser usada como uma ferramenta para facilitar a criação de conteúdo. O conteúdo gerado pela IA precisa ser revisado por humanos com informações profissionais adicionais. São os humanos que realmente conhecem e entendem o mercado-alvo do conteúdo e o ângulo ou foco necessário. Isso é particularmente verdadeiro para marcas de luxo que precisam de um toque humano para falar e se conectar com indivíduos de altíssimo patrimônio líquido.

A inteligência humana trabalhando de forma colaborativa com a inteligência artificial levará a muitas outras oportunidades e, se seguirmos os princípios do E-E-A-T, isso deverá levar a resultados positivos.

Sabemos que o Google pode detectar conteúdo gerado por IA; no entanto, ele não penaliza o conteúdo de IA em si, mas penaliza o conteúdo ruim em geral. Portanto, é fundamental ter um olho humano para revisar o conteúdo, elevá-lo quando necessário e garantir que o texto seja preciso e original.

Como a Relevance pode ajudar?

A Relevance é uma agência líder em marketing digital de luxo que utiliza a tecnologia mais recente para criar campanhas de marketing digital sob medida para as principais marcas de ultraluxo voltadas para o público UHNW. Aproveitamos o poder das melhores ferramentas de IA da categoria para elevar as campanhas e garantir um retorno mensurável sobre o investimento. Para saber mais sobre como trabalhar com a Relevance, contato nossa equipe.

Leia mais artigos deste autor

clique aqui