Conheça a Relevance: Conheça nossa diretora de criação Frances Martin-Isaacs

Conte-nos um pouco sobre você.

Nasci em Londres e fui criado na América do Sul, em Londres e na Espanha. A maior parte da minha vida profissional foi passada trabalhando em Londres, no Canadá e na França. Estudei Direito e TI em uma época em que a Internet estava surgindo fora do meio acadêmico. Meu estudo independente e minha dissertação foram sobre arte e realidade virtual - o mundo digital cresceu muito desde essas ideias, embora a RV e a RA ainda estejam em sua infância.

Em fevereiro de 2021, a Relevance adquiriu minha agência criativa, a Brand Spanking London, juntamente com minha parceira de negócios, a designer Jemma Phayre. Agora, ampliamos o mandato criativo da Relevance para oferecer aos clientes um nível elevado de serviços criativos.

Depois de passar 15 anos em cargos de liderança em criação e design, sinto-me privilegiado por ter trabalhado com tantos talentos excepcionais, tanto no atendimento quanto no cliente.

Fora do trabalho, sou viajante, mãe, esposa, praticante de snowboard, corredora e iogue. Sou mais feliz ao ar livre ou quando estou imersa em arte.

Qual é a função de um diretor de criação em uma agência?

Minha meta é inspirar e motivar a equipe e os clientes e, ao mesmo tempo, aumentar a capacidade criativa da Relevance. Reúno as equipes de projeto, selecionando talentos para obter resultados criativos que não apenas atendam aos briefings, mas também entusiasmem os clientes e o público. Sempre me esforço para construir relacionamentos sólidos com os clientes e interpretar verdadeiramente seus requisitos comerciais para criar ferramentas comerciais exclusivas, notáveis e elegantemente criativas. Em última análise, trata-se de garantir que a jornada criativa seja um prazer para todos os envolvidos. 

A criatividade também é a parte emocional do negócio - evocando visuais instigantes e textos com uma bela curadoria. Tento incutir essa energia positiva em todos com quem trabalho, mesmo quando estou trabalhando até tarde da noite.

Descreva seu processo criativo.

A jornada criativa começa com a compreensão: compreender a motivação dos proprietários e dos clientes da empresa. Sem uma compreensão profunda de nossos clientes e do mercado em geral, não podemos criar um briefing bem-sucedido. Fazemos isso por meio de uma comunicação inicial clara e, nesse ponto, é importante criar um ótimo relacionamento com o cliente.

Tudo começa com o briefing criativo - quanto mais informações e planejamento pudermos colocar em um projeto, melhores serão os resultados. Como designers, o tempo nunca está do nosso lado, portanto, temos que trabalhar rapidamente e acertar a criatividade na primeira vez, e um bom briefing nos ajuda a fazer isso.

Quando temos um briefing, um cronograma e um orçamento, montamos uma equipe para o projeto.

Quer estejamos gravando um vídeo pendurado em um helicóptero nas Maldivas ou criando um site de comércio eletrônico, o planejamento é o primeiro passo para o sucesso.

Em seguida, pesquisamos. Pesquisamos o que já existe no mercado e o que já foi feito para garantir que o que produzimos seja único e melhor do que qualquer outro produto.

Em seguida, começamos a fazer um brainstorming e a esboçar ideias, trabalhando em quadros de humor, textos e recursos visuais. Isso pode ser muito divertido, pois é nesse momento que surgem as ideias malucas, que sempre valem a pena ser exploradas.

Apresentamos nossas ideias, aprimoramos as melhores, retrabalhamos, finalizamos, polimos e, em seguida, criamos um briefing final pronto para ser publicado.

Os projetos podem levar alguns dias ou vários meses, dependendo do escopo do trabalho. Nunca paramos até que nossos clientes estejam entusiasmados com o que entregamos.

Qual é o aspecto do seu trabalho pelo qual você é mais apaixonado?

Em geral, embora eu seja apaixonado por design e textos bonitos, são as pessoas que me fazem vibrar. Como qualquer pessoa pode lhe dizer, adoro uma boa conversa (mas geralmente em um ritmo bastante acelerado!).


Adoro conhecer nossos clientes e trabalhar com nossas talentosas equipes criativas, além de dirigir as fabulosas ideias delas. Ver tudo se encaixar é como uma sinfonia satisfatória de ideias, colaboração, coçar a cabeça (às vezes, bater a cabeça), mas tudo na direção certa para uma entrega criativa perfeita e inspiradora.

Onde você busca inspiração?

A inspiração está em toda parte; basta olhar ao redor, manter a mente aberta e, é claro, falar muito!

Quais são seus tipos de projetos favoritos?

Acho mágico trabalhar com equipes de fotografia e vídeo que superam as expectativas. Também gosto de uma história de marca que seja bem contada.

Acho que a marca é minha paixão número um: a homogeneidade e a beleza de uma oferta que não pode ser resistida.

Como você se liberta da criatividade?

O bloqueio criativo é uma ocorrência rara, pois há muitas ideias novas a serem exploradas. Para mim, a melhor maneira de obter ideias é com as pessoas e, como sempre, isso envolve discussões. Outras fontes são, obviamente, a leitura on-line, a pesquisa de campanhas premiadas, a análise do que os jovens estão fazendo, o melhor do melhor, o que é novo, o que é antigo, o que é amado, o que evoluiu.

O que você acha que faz de alguém um bom designer?

O design é subjetivo; o que é um bom design em uma cultura não funciona em outra, e isso nos leva de volta ao briefing criativo. Ninguém pode dizer categoricamente que existe bom ou ruim quando se trata de arte, devido à sua natureza subjetiva (escrevi uma dissertação de 10.000 palavras sobre isso!), mas podemos dizer que um briefing é bom ou ruim. Um briefing precisa entender os objetivos do criativo e explicar claramente o que precisa ser alcançado. Um bom designer é aquele que consegue desenvolver esse briefing e atender a seus requisitos (o mais rápido possível!). Um ótimo designer faz com que o público-alvo se apaixone pela proposta.

Qual marca de luxo lhe interessa?

Sempre fico ansioso para ver as novidades da Burberry. Essa icônica marca britânica sempre conseguiu se manter atualizada e se adaptar às tendências e culturas. A nova loja principal será inaugurada em Knightsbridge este mês e, apesar de ser uma marca clássica, a Burberry adota a tecnologia. Estou ansioso para ver algumas instalações interessantes na loja. No momento, estou adorando o novo padrão. 

Conte-nos sobre um projeto que tenha sido sua maior conquista?

Durante minha carreira, trabalhei em uma grande variedade de trabalhos. Aprendi muito trabalhando na reformulação da marca da AON (uma das maiores seguradoras do mundo) e, sozinho, criei e entreguei os vídeos animados que foram exibidos em todos os saguões dos escritórios (um prêmio aos 24 anos de idade). Atualmente, passo mais tempo dirigindo do que criando. O lançamento da marca e as campanhas publicitárias da YCO foram inovadores na época, e as pessoas ainda os consideram os garotos descolados graças à marca. Tenho orgulho de ter trabalhado nisso. Fotografei competições de big air no interior das Coast Mountains, BC, Canadá, para a montanha Whistler Blackcomb e entrevistas com celebridades para a TV local, o que foi uma grande mudança para essa garota sul-americana/londrina. Uma sessão de fotos na charmosa Capri para o iate Quinta Essentia teve enorme sucesso com capas de revistas, e frequentemente vejo nossa fotografia da sessão Meamina ainda sendo "emprestada" para uso aqui e ali. Planejei isso quando estava grávida de 7 meses, e Jemma teve que voar para as Ilhas Virgens Britânicas em meu lugar e fez um trabalho épico.

Adoro ensinar pessoas mais jovens a projetar com precisão e exatidão, a pensar nos detalhes e a olhar para o quadro geral - Qual é o objetivo? real Qual é o objetivo desse projeto? Quem será beneficiado? Como podemos tornar essa oferta exclusiva e, o mais importante, vendê-la? Mas, acima de tudo, como podemos fazer as pessoas se sentirem hoje?

Para mim, o que importa é o sentimento; criar algo que toque o coração, a mente e a memória das pessoas.

Esperamos que você tenha gostado de conhecer nosso Diretor de Criação. Fique atento à nossa próxima entrevista com a Diretora Comercial da Relevance, Niki McMorrough.

Leia mais artigos deste autor

clique aqui